TENDÊNCIAS COMPORTAMENTAIS PÓS-PANDEMIA DOS TRABALHADORES.

imagem-1-TENDÊNCIAS-COMPORTAMENTAIS-PÓS
Ilustração: Liza Rusalskaya

Feche seus olhos e imagine-se em 2019. O despertador tocando às 5:00, o cafezinho corrido, a roupa separada no cabide, mochila pronta e você se deslocando até o trabalho. Chegando ao escritório, o som da impressora, o almoço, aquele momento de descontração com os colegas, mais trabalho e o fim do expediente.

De repente, 2020: pandemiadistanciamento social e home office. Você descobre que pode acordar uma hora mais tarde. O café não é tão corrido; a roupa agora é uma camisa social e um moletom (para parecer profissional diante da câmera). Almoço, trabalho, olhada pela janela, carinho no pet, rolar o feed nas mídias sociais, café da tarde, horas extras, solidão e fim do expediente.

Se o mercado de trabalho já vive constantes mudanças impulsionadas por inovações e novas tecnologias, o capital mais valioso das empresas também mudou: o capital humano. Por isso, se uma empresa já retomou o trabalho presencial, ou está retomando gradativamente, em um formato híbrido, observar e compreender os novos hábitos e os novos comportamentos dos colaboradores também se faz necessário.

Aqui destaco quatro tendências comportamentais que perdurarão no pós-pandemia para que você, empregador e empreendedor, que deseja retornar à rotina de trabalho presencial ou híbrida, tenha um olhar mais humano e acolhedor.


1 – O escritório, meu lar

Na pandemia e quarentena, as pessoas descobriram que, a casa como ambiente de trabalho, permite maior liberdade e conforto. Será que o escritório está preparado para oferecer algo semelhante? Uma mudança fácil de ser observada é a forma de se vestir: a troca do clássico e convencional para o comfy demonstra como a roupa social e o sapato de couro foram facilmente substituídos pelo moletom, meia e chinelo, com o intuito de trazer mais conforto e relaxamento na hora de trabalhar.

Pensando nisso, que tal criar ‘o dia do comfy’, com regras pré-definidas e planejadas, junto com toda a equipe, para trazer um pouco mais de conforto ao ambiente do escritório? Ou talvez, criar “espaços de descompressão”, contendo itens que remetam ao lar e ao acolhimento.

Em seu artigo, Deborah Carvalho Malta, et.al.(2020), explica que a mudança do lifestyle durante a pandemia também envolve fatores que apontam riscos à saúde, como hábitos alimentares não saudáveis, aumento do consumo de álcool e tabaco e diminuição de atividades físicas. Nesse caso, as empresas podem promover a saúde dos seus colaboradores a partir da implementação de atividades semanais que estimulem a alimentação saudável, a prática de exercícios físicos – que liberam hormônios que aliviam o estresse, como a endorfina – assim  como palestras e eventos.


2 – Um ambiente de flexibilidade

Com o distanciamento social, uma sequência exaustiva de calls fez parte da rotina dos trabalhadores, como relatado em pesquisa realizada pela Kantar (geradora de dados e insights sobre o comportamento humano) a pandemia foi um momento no qual as pessoas passaram a experimentar mais o digital. Nesse estudo, descobriu-se que 66% dos entrevistados afirmaram ter visto mais vídeos online e 56% disseram que a crise os incentivou a usar plataformas de vídeo-chamadas.

É hora de repensar a comunicação síncrona e assíncrona. Será que precisava daquela reunião ou bastava um e-mail para resolver determinada questão? No caso de reuniões, estas precisam ter  um tempo definido para início e fim, com pauta pré-definida.. Além disso, é importante considerar que os agendamentos e demandas sejam realizados dentro do horário de trabalho, uma vez que, quase 80% dos colaboradores estão trabalhando além da jornada normal, conforme pesquisa realizada pela DataSenado (repartição de pesquisa vinculada à Secretaria de Transparência do Senado Federal). Esses cuidados podem aumentar o engajamento e participação de toda a equipe.


3 – A palavra do momento é: equilíbrio!

Um ambiente leve onde todos possam compartilhar ideias e objetivos, abrindo a escuta para compreender os processos de produção de cada colaborador (antes de estipular prazos de entrega), se faz necessário para criar um time saudável e engajado. Isso talvez possa significar mais tempo para conversas e para o desenvolvimento de relações interpessoais, já que a maioria das pessoas, com o distanciamento social, ficou sozinha nos últimos meses, vivendo poucos momentos de compartilhamento e trocas cara-a-cara.

Segundo artigo escrito na Kearney (consultoria global de gestão estratégica), uma das 5 tendências de mudanças no mercado nos próximos 5 anos é a epidemia da solidão, causada pelo avanço tecnológico e o isolamento social.

“Não é surpreendente que a solidão tenda a aumentar nos próximos cinco anos. As implicações vão desde a diminuição da produtividade da força de trabalho, à desaceleração do crescimento econômico e ao declínio da saúde e do bem-estar da sociedade.” – Tendências globais 2019 – 2024, por A.T. Kearney

Por isso, as empresas precisam estar preparadas para compreender e solucionar eventuais falhas, erros e improdutividade por parte do time. As pessoas estão se readaptando à rotina presencial e estão voltando a interagir presencialmente com os colegas. Conversar individualmente com cada pessoa pode ajudar você a descobrir as dores e desejos delas.

4 – Gerações diferentes: habilidades e perspectivas diferentes!

No cenário atual, se faz necessário compreender o comportamento das novas gerações, suas habilidades e expectativas, como também estarmos abertos às mudanças e criar vínculos pessoais, respeitando a igualdade e a equidade.

Segundo relatório do Fórum Econômico Mundial, publicado em 2020, habilidades como criatividade, raciocínio lógico, observação, comunicação e inteligência emocional serão cada vez mais necessárias no ambiente de trabalho e de negócios. As gerações Y e Z, por exemplo, têm como características serem multitarefas. É interessante você buscar entender o que elas gostam de fazer, quais as tarefas as desafiam e como podem exercer funções diferentes na empresa para serem valorizadas e motivadas.


Novas transformações

Você já tinha percebido as características dessas quatro tendências para adaptar e organizar a estrutura que você deseja para o retorno presencial ou híbrido?

As transformações podem começar a partir de uma atitude de maior abertura e de escuta em relação ao seu time, e de desenvolver atividades em grupo que estimulem o relacionamento interpessoal.

A quarentena acabou. Seu despertador, café, roupas e escritório também sofreram mudanças. Quando você se coloca nesse lugar, quais são as tendências que você deseja criar neste cenário pós-pandemia? Quais delas já podem compor a sua realidade a partir de agora?

Fonte: artigo de Kamilla Gomes, instrutora de empreendedorismo pela Eu S/A Escola de Empreendedorismo, publicado em O Futuro das Coisas.



Artigos Relacionados

FENAPRO E ESTADÃO INICIAM ‘ROAD SHOW CANNES LIONS 2016’

As apresentações serão conduzidas por Alexis Pagliarini, superintendente da Fenapro. Belo Horizonte será a primeira cidade a receber o evento,

AS 10 MELHORES TECNOLOGIAS EMERGENTES DE 2020

As principais tecnologias emergentes de 2020 foram apontadas por um grupo internacional de especialistas, convocado pela Scientific American e pelo Fórum Econômico […]

EMPRESAS TEM PAPEL FUNDAMENTAL PARA ERRADICAR O RACISMO

A injustiça em qualquer lugar é uma ameaça à justiça em todos os lugares. Todas as pessoas estão presas numa mesma rede […]