POR UM MERCADO PUJANTE, JUSTO E DINÂMICO.

Em cumprimento à deliberação unânime da Diretoria Nacional da ABA (Associação Brasileira de Anunciantes), realizada no dia 22 de janeiro de 2021, durante a sua reunião nacional, solicitamos o pronto desligamento do quadro associativo do CENP – Conselho Executivo das Normas Padrão.

A decisão foi tomada de forma tranquila e transparente, após muito diálogo entre a ABA e CENP sobre temática que vem permeando a nossa associação há alguns anos. Fomos uma das entidades fundadoras do CENP há mais de duas décadas, quando o mercado e os atores do ecossistema publicitário se encontravam em estágio de desenvolvimento muito diverso do atual, com desafios e perspectivas completamente diferentes.

Como presidente da ABA, afirmo que uma de nossas principais vertentes consiste em antecipar as discussões que tenham relação com a função de marketing, isto é, com a sua evolução. O mercado se transformou e é muito claro que a arte de comunicar passou a agregar novos elementos e um ecossistema muito mais rico e complexo. Trata-se de elementos que são constantemente discutidos entre nós e nossos associados, sendo que nossas recomendações, ponderações e anseios sobre o funcionamento do mercado sempre foram expostos de maneira clara.

Portanto, não se trata de ruptura, mas de necessária evolução. A ABA, já há algum tempo, estava afastada das deliberações e dia-a-dia do CENP. De certo modo, apenas formalizamos um passo que, na prática, já era uma realidade. É importante ressaltar, ainda, que estamos comprometidos com as discussões em prol da autorregulamentação do mercado e, bem assim, com a busca da melhor harmonia entre todos os atores do ecossistema publicitário.

Acredito que a nossa saída do CENP não deverá alterar os interesses já existentes de agências e veículos. A ABA tem papel institucional e trabalha, sobretudo, pela liberdade de expressão comercial e não responde pelas decisões de negócio dos anunciantes, associados ou não à ABA, públicos ou privados. A eles cumpre decidir sobre sua atuação no mercado e sua relação comercial com veículos e agências.

A proposta da ABA é fazer muito em prol dos anunciantes e propiciar um diálogo ainda maior com todos os atores do ecossistema. Continuamos absolutamente comprometidos com a autorregulamentação e a relevância do diálogo institucional, trabalhando por um mercado pujante, justo e dinâmico.

Esperamos que todas as entidades e atores do ecossistema publicitário estejam igualmente engajados em uma profunda reflexão sobre as novas tendências de comunicação e mídia, seus impactos sobre a publicidade, bem como sobre a melhor forma de realmente garantir a existência de um mercado publicitário cada vez mais ágil e versátil. A ABA sempre estará de portas abertas para todos que quiserem dialogar institucionalmente sobre o setor e engajada em toda e qualquer discussão que envolva os legítimos interesses dos anunciantes.

Fonte: artigo de Nelcina Tropardi, presidente da ABA e vice-presidente e cofundadora da Arcamais, publicado em Propmark.



Artigos Relacionados

Lado a lado

O mercado de comunicação vem mudando de forma rápida e intensa nos últimos anos. O entendimento das relações entre anunciantes,

ANITTA NO NUBANK E O IMPACTO DOS INFLUENCIADORES NO MERCADO FINANCEIRO.

Recentemente, em uma coletiva de imprensa, o jogador português Cristiano Ronaldo moveu duas garrafas de Coca-Cola da mesa onde daria a entrevista e disse “água”. A Coca-Cola perdeu US$ 4 bilhões em valor de mercado, com ações saindo de US$ 56,17 para […]

SEMINÁRIO DE LICITAÇÕES PÚBLICAS – 16 DE JUNHO DE 2021.

O Sindicato das Agências de Propaganda do Estado de Minas Gerais (Sinapro-MG) convida você para participar do Seminário de Licitações para Publicidade e Propaganda, que será realizado no dia 16 de junho, das 9h30 às 11h30, ao vivo, on-line e gratuito […]