CONTRA RACISMO, GRUPO BOTICÁRIO EXTINGUE “BLACK FRIDAY”

CONTRA RACISMO, GRUPO BOTICÁRIO EXTINGUE “BLACK FRIDAY”

Na manhã desta terça-feira, 29, o presidente do Grupo Boticário Artur Grynbaum publicou no LinkedIn o adeus da companhia ao termo “Black Friday“. Após dezenas de empresas se pronunciarem antirracistas por meio de compromissos como destinação de verba para programas sociais ou contratação ativa de negros, o Boticário busca chamar a atenção do mercado sobre a origem do termo “Black Friday” e pensar em novas possibilidades.

A dois meses da “Black Friday” – um dos períodos mais relevantes do ano para o varejo e a data mais importante para o comércio eletrônico em todo o mundo, nos deparamos com um incômodo recorrente: há anos conversamos sobre a possível origem do termo “Black Friday”, sobre a ausência de dados científicos que comprovem que ele realmente não se relaciona à questão da escravatura. Então, respeitando os movimentos que sentem desconforto com o termo, decidimos parar de refletir e começar a agir – não teremos mais o termo Black Friday no Grupo Boticário.

Na publicação, o executivo comenta ainda os compromissos da companhia com a promoção da diversidade e da inclusão, com práticas desde 2013 para a equidade de gênero, LGBTQIA+, pessoas com deficiência, pessoas de diferentes gerações e raça. Para as iniciativas de equidade étnico-racial, por exemplo, há grupo de afinidade ‘Além da Pele’ e o apoio de especialistas.

O período de descontos continuará existindo em 2020, mas com um novo nome para a ocasião: Beauty Week. Grynbaum diz contar com outros executivos do país para outras mudanças. “Convido aqui minhas e meus colegas, lideranças empresariais em todo o país para se juntarem a nós e repensarem suas Black Fridays, batizando-as com outros nomes, que façam sentido para cada empresa e setor. Afinal, não estamos falando “só” de uma mudança no termo: está em pauta aqui o caminho para alcançarmos o sucesso responsável e dar mais uma contribuição para uma nova perspectiva de raça na sociedade, com senso de urgência e coragem”.

Fonte: Exame



Artigos Relacionados

OS 3 FATORES QUE APONTAM QUANDO BRASIL CHEGARÁ AO PICO DA EPIDEMIA DE COVID-19

O primeiro caso de covid-19 no Brasil foi confirmado em 26 de fevereiro, e as medidas de isolamento social começaram ser adotadas em meados de março. Passados quase três meses, nada indica que já passamos do pico da pandemia. Na verdade, recordes de casos e mortes em um único dia foram registrados na última semana. Como vamos saber quando a pandemia chegou ao seu auge por aqui? […]

DO SEM G AO 5G: NOVA INTERNET MÓVEL É CHANCE PARA O BRASIL TIRAR O ATRASO

Em uma fazenda no interior de Mato Grosso, máquinas agrícolas com sistema de condução autônoma operam em lavouras de soja […]

COCA-COLA DÁ O PRIMEIRO PASSO E LANÇA ‘A CARTA’ PARA NATAL 2020

Definitivamente, estamos próximos da data mais mágica do ano: o Natal! A Coca-Cola deu o primeiro passo e lançou a campanha natalina de 2020. Neste ano, a companhia […]