5 TENDÊNCIAS DO E-COMMERCE PARA 2021

IMAGEM-5-TENDENCIAS-DO-E-COMMERCE-PARA-2021

A pandemia mudou definitivamente a maneira como as pessoas fazem compras. De acordo com uma pesquisa recente da Comscore, o tempo gasto no varejo é maior em aparelhos móveis, que contam hoje com mais de 72 milhões de usuários ativos no Brasil. Apesar disso, ainda existem 17 milhões de pessoas que utilizam apenas o computador no seu dia a dia, sendo necessário que as empresas adaptem suas lojas de e-commerce para funcionarem perfeitamente em ambas plataformas. E essa não foi a única mudança que vimos. As práticas de e-commerce mudaram ao longo dos meses de 2020 e, agora, mais do que nunca, o foco dos negócio é a experiência do usuário. Confira 5 tendências para observar em 2021.


1. Omnichannel é rei

 Seja em vendas, logística, cadeia de suprimentos ou comunicação, omnichannel é uma das palavras do momento e o futuro de todos os negócios em desenvolvimento. Omnichannel é uma estratégia de conteúdo de canal cruzado que as organizações usam para melhorar a experiência do usuário e conduzir melhores relacionamentos com seu público. O segredo para uma estratégia omnicanal vencedora é entender o que seus clientes precisam antes mesmo que eles saibam que precisam, oferecendo ao seu cliente todo o suporte por meio de diferentes canais de vendas. Depois de ter uma experiência completa para seus clientes em diferentes canais e dispositivos que pareça natural e consistente, você aumentará suas vendas exponencialmente e tornará os clientes leais à sua marca.


2. Voice Shopping

 “Ok Google”, “Hey Siri” e “Hi Alexa” se tornarão as frases mais faladas depois que o Voice Shopping se tornar uma realidade em todo o mundo. As pessoas estão começando a gostar da ideia de ter um assistente com dispositivo de voz em suas casas, como Assistente Google e Alexa. A compra por meio desses dispositivos de voz chegará a US $ 40 bilhões em 2022. Isso acontecerá porque a Amazon e o Google estão visando mercados ao redor do mundo, incluindo diferentes idiomas. Essas empresas apostam no conforto e comodidade para seus clientes e muitas outras seguirão criando aplicativos que usarão comandos de voz para executar suas ações. À medida que a popularidade dos dispositivos assistidos por voz aumenta, há uma preocupação crescente com a privacidade do usuário. Essa conversa provavelmente continuará no próximo ano.


3. Produtos verdes e sustentabilidade assumirão o controle

A nova geração é formada por compradores conscientes, seu comportamento de compra é focado em valores como responsabilidade social e ambiental. Em 2021, se as marcas não se adaptarem a uma política pró-sustentabilidade, ecológica e livre de crueldade, elas correm o risco de serem substituídas por empresas que, embora potencialmente mais caras, defendem essas práticas. Os jovens consumidores preferem marcas que compartilhem seus valores e moral, empresas que tenham um propósito definido.


4. AI e AR

Espera-se que a inteligência artificial (IA) e a realidade aumentada (AR) sejam um dos maiores investimentos dos vendedores em 2021. As empresas gastarão dinheiro e esforços para garantir que o e-commerce ofereça a melhor experiência aos clientes. Os benefícios da IA no próximo ano virão principalmente da otimização do processo e da maximização da receita. Embora a IA ofereça experiências personalizadas para pessoas diferentes, rastreando o histórico do cliente e o comportamento de navegação e oferecendo exatamente o que ele está procurando ou a combinação perfeita para o que acabou de comprar, o AR se concentrará em satisfazer a necessidade do cliente de inspecionar fisicamente o produto, mostrando todas as características do seu produto e como ficaria bem com eles, mas no conforto de suas casas.


5. Comércio visual

Uma imagem vale mais que mil palavras, dizem eles. E isso nunca poderia ser mais preciso quando se trata de comércio eletrônico. As lojas mais relevantes do mundo não usam imagens apenas na página de produtos, mas também em todo o site para atrair a atenção dos consumidores e convertê-los em clientes na hora. Toneladas de imagens de alta qualidade podem comprometer a velocidade de carregamento da página e diminuir a experiência do cliente, portanto, as empresas precisam ficar de olho nisso. Para 2021, os e-commerces terão de investir em formatos modernos para venderem, como imagens e vídeos 360° dos produtos, ferramentas de busca visual e se manterem atualizado com as novidades em imagem.

Fonte: Adnews



Artigos Relacionados

EBAY COMPLETOU 25 ANOS COM POUCOS MOTIVOS PARA COMEMORAR

O dia 3 de setembro de 2020 marcou o aniversário de 25 anos do eBay. Fundada em 1995, a companhia chegou a liderar e-commerce americano no começo dos […]

OS PLANOS DA BRMALLS PARA CRESCER NO OUT-OF-HOME.

A aquisição da Helloo, empresa especializada em comercialização de mídia digital em elevadores residenciais, pela BRMalls, anunciada na semana passada, tem a proposta de colocar o grupo de shoppings centers de forma mais consolidada no universo dos veículos de comunicação ao explorar a possibilidade de colocar as […]

PÚBLICO ESTÁ CANSADO DE MARCAS QUE DIZEM “ESTAMOS COM VOCÊ”

Mais de um terço dos anunciantes optaram por pausar os investimentos em publicidade durante a pandemia. No entanto, uma pesquisa lançada na quinta-feira, 21, sugere que os consumidores norte-americanos ainda querem propaganda – mas somente se for executada da maneira certa.
Comissionado pela Adobe Advertising Cloud, o estudo descobriu que somente 12% dos consumidores querem que as marcas […]