Pequenas e médias empresas vão apostar em Inteligência Artificial este ano

Estudo realizado pela Nuvemshop indica as novas ferramentas e estratégias que estão nos planos dos empreendedores

Imagem: Freepik

Para manter as vendas aquecidas e ampliar o sucesso no ambiente digital, muitos empreendedores desejam apostar em novas ferramentas este ano. No centro das tendências do varejo moderno, a Inteligência Artificial é prioridade para 36% dos entrevistados, segundo dados da pesquisa sobre e-commerce realizada anualmente pela Nuvemshop, plataforma para criação de lojas virtuais. Para a 9ª edição do estudo, publicado em 2024, foram ouvidas 1.900 pequenas e médias empresas (PMEs) da base de clientes da Nuvemshop,

Na lista de melhorias tecnológicas, implementar vídeos dos produtos vendidos na loja virtual é importante para quase 37% dos empreendedores que desejam melhorar a conversão das vendas. Atendimento digital e chatbots (conversational commerce), ferramentas que usam IA, são destaque para 30% das PMEs

“As pequenas e médias empresas registraram um crescimento de 22% no faturamento no último ano. As tendências apontadas pelo mercado, como inteligência artificial e uso de vídeos para mostrar os produtos na loja virtual, já estão no radar dos empreendedores”, comenta Luiz Natal, gerente de Plataforma da Nuvemshop.

“Percebemos que eles também desejam investir ainda mais em conhecimento para expandir as vendas e aproveitar as tecnologias de forma estratégica”, pontua o executivo, que também garante que a companhia continuará a apoiar os empreendedores por meio de treinamentos, workshops e ferramentas que auxiliem nesse processo.

Ainda sobre os planos para 2024, o estudo indica que os lojistas pretendem expandir ainda mais a estratégia dos negócios virtuais. A pesquisa mostra que 51% dos empreendedores pretendem aprender mais sobre estratégias de e-commerce, 29% desejam expandir seu portfólio de produtos e 28% querem ampliar canais de venda online.

Sobre os desafios e aprendizados para a gestão do negócio referente ao ano passado, 44% afirmam que a falta de capital de giro para reinvestir na loja foi a maior dificuldade enfrentada. Conhecer e dominar as ferramentas necessárias para crescer e a falta de tempo para administrar todo o negócio também foram desafios destacados por 29% e 25% dos respondentes respectivamente.

Além disso, quando perguntados sobre as dificuldades enfrentadas diretamente no e-commerce, os empreendedores afirmam que a baixa taxa de conversão (38%) e o alto custo de frete (21%) são os principais impasses, seguidos por dificuldade para precificar (13%) e carrinhos abandonados (12%).

Em 2023, as pequenas e médias empresas do varejo online faturaram R$3,3 bilhões, um crescimento de 22% em relação a 2022, segundo dados do estudo NuvemCommerce 2024.

Fonte: Mercado e Consumo



Artigos Relacionados

Vote nos Indicados ao Prêmio Minas de Comunicação / Melhores da Propaganda Mineira

Confira a lista dos indicados ao Prêmio Minas de Comunicação /  Os melhores da Propaganda Mineira VOTE AQUI 

NRF 2020 e a liquidação dos 4 Ps de Kotler, por Meio e Mensagem – Allan Barros

Fortalecer seu propósito por meio de uma boa história em toda a cadeia de processos do seu varejo é ingrediente fundamental do seu resultado no futuro próximo.

Publicação compartilhada na íntegra Meio e Mensagem, por Allan Barros, em 15 de janeiro 2020

O QUE LEVOU A RIACHUELO A INVESTIR EM PERSONAS DIGITAIS?

A inclusão de chatbots para facilitar o atendimento ao cliente e agilizar os processos já e algo comum entre as marcas. A Riachuelo, por exemplo, foi atraída pela inteligência artificial ao criar a Helô, em 2019, para realizar o primeiro atendimento aos consumidores e por direcioná-los aos canais necessários para solucionar seus problemas. Elio Silva […]