Influência no LinkedIn: engajamento com causas impacta consumo

Pesquisa da Gombo aponta quais são os fatores que pesam para a decisão de compra do usuário pela rede social

Imagem de ijeab no Freepik

Em 2021, o LinkedIn ultrapassou a marca de 50 milhões de usuários no Brasil. Naquele momento, isso deu ao Brasil o posto de quarto maior mercado da rede social no mundo. De olho nesse público, a agência de influência e projetos para o LinkedIn Gombo realizou pesquisa com 2.977 usuários ativos da rede.

Desse público, 56,7% afirmaram usar o LinkedIn com muita frequência. Os pontos mais valorizados por eles na plataforma são as oportunidades de emprego e a busca por vagas (35,24%), o consumo de conteúdos variados (26,94%), e as oportunidades de networking (18,58%).

E 66% dizem, inclusive, já ter encontrado oportunidade de emprego ou negócio pelo LinkedIn. Outros 41,2% disseram, ainda, que produzem algum tipo de conteúdo na plataforma.

Influência no LinkedIn

Quando o assunto é a relação com a influência na rede social, o LinkedIn goza de  confiança maior que o Instagram, Facebook, WhatsApp, TikTok e Twitter, de acordo com a pesquisa. Sobre os influenciadores, 51,2% disseram que a autoridade do criador no assunto influencia sua decisão de compra no LinkedIn. A clareza na apresentação do conteúdo também foi apontada como fator importante para 62,4%.

Outros fatores que impactam a decisão de compra pelo Instagram são o fato de o criador ter reconhecimento da própria rede (44,8%), seja como Top Voice, LinkedIn Creator ou LinkedIn Influencer, e o posicionamento do criador de conteúdo a respeito de causas sociais (54%).

“As mudanças na sociedade estão colocando os criadores de conteúdo numa posição de destaque. É preciso que novas histórias sejam contadas e estejam alinhadas com a realidade do mundo atual”, aponta Dimitri Vieira, sócio-fundador da Gombo.

Fonte: Meio e Mensagens



Artigos Relacionados

UNILEVER E P&G APOSTAM EM CONSUMIDORES MAIS JOVENS.

As multinacionais Unilever e P&G estão fazendo uma reviravolta no seu público-alvo, apostando em propagandas em vídeogames e serviços de streaming para captar o público jovem. À medida que continuam a olhar para seus orçamentos de publicidade digital e tentam atrair compradores mais jovens — que durante a pandemia se reuniram […]

OS PERIGOS DOS SORTEIOS NO INSTAGRAM.

Você certamente já se deparou com esse tipo de sorteio no Instagram: o influenciador pede para que os seguidores marquem algum amigo, siga determinados perfis e comente no post. A prática vem se popularizando. Mas será que tudo isso é legal? […]

TCEMG entende que publicidade pública pode ser serviço de prestação contínua.

Em sessão de Pleno realizada no dia 14/08/2019, o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG) decidiu que “os contratos de publicidade institucional de atos, programas, obras, serviços e campanhas de orientação social ou de caráter informativo, com agências de publicidade, podem ser considerados de natureza contínua”.