ESTUDO MEDE AUDIÊNCIA DA MÍDIA OUT-OF-HOME NA PANDEMIA.

imagem-1-ESTUDO-MEDE-AUDIÊNCIA-DA-MÍDIA-OUT-OF-HOME-NA-PANDEMIA

O estudo “Sazonalidades, Lockdown e a Audiência do OOH”, desenvolvido pelo Mapa OOH em parceria com a Hands Mobile, revelou que, mesmo nos momentos de restrições provocados pela Covid-19, os roteiros de OOH das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro continuaram entregando importantes índices de alcance e frequência.

O levantamento mapeou um roteiro de 500 faces publicitárias localizadas nas ruas da capital paulista e outras 500 na cidade do Rio de Janeiro, considerando a população acima de 15 anos. Para a medição, foram monitorados aproximadamente 50 mil aparelhos celulares, de forma anônima, detectados sempre que passavam a menos de 60 metros de qualquer uma das faces monitoradas, medindo quantas pessoas viram pelo menos uma das peças em cada praça, pelo menos uma vez a cada semana.

imagem-2-ESTUDO-MEDE-AUDIÊNCIA-DA-MÍDIA-OUT-OF-HOME-NA-PANDEMIA

As comparações semanais dos dados foram feitas com base na semana de 2 a 8 de março 2020, última antes dos primeiros decretos de restrição à mobilidade, e foram consolidados mês a mês a comparação do alcance com ela. No mês de abril de 2020, período marcado por medidas de isolamento social, o alcance medido em São Paulo foi de 59% e 75% no Rio de Janeiro. Já em junho do mesmo ano, os índices figuraram em 85% e 107%, respectivamente, dos dados da semana de 2 de março.

“Os resultados confirmam que o isolamento social implantado no ano passado afetou a audiência do OOH, mas em níveis bem inferiores às expectativas do mercado, por tempo bem menor do que imaginado e ainda entregando resultados significativos”, explica Sérgio Viriato, coordenador do Mapa OOH.

As reduções do uso de transporte público tiveram baixo impacto nas audiências. O estudo lembra que, no Mapa OOH, os passageiros de metrô, quando estão viajando, não são considerados nos índices de mídia em via pública e apenas um terço dos passageiros de ônibus são considerados para a audiência.


Momento atual

Em 2021, apesar de em alguns momentos os índices continuarem refletindo as medidas de isolamento de acordo com os períodos de liberações e novas restrições, em momentos diversos já superam o números de março de 2020. Os últimos dados referentes ao mês de agosto mostram resultados praticamente iguais ao período pré-pandemia, com 101% de alcance em São Paulo e 109% no Rio de Janeiro.

*Crédito da imagem do topo: ipopba/iStock

Fonte: Meio e Mensagem



Artigos Relacionados

Fenapro: “Acreditamos que a recuperação das agências será continuada”.

Presidente da entidade, Daniel Queiroz afirma que as marcas entenderam que não dá para esperar mais, esperar o que vai acontecer. Qual o balanço que a Fenapro faz do mercado publicitário em 2021? Foi um ano de retomada. A última VanPro que fizemos […]

Fenapro e Sinapro-MG promovem Design Thinking Propaganda

Em tempos de crises e mudanças no mercado, quem consegue se reinventar e aproveitar as oportunidades pode transformar a adversidade

IDADE EMOCIONAL: PARA ESPECIALISTA, COVID-19 RESGATA O PESO DA IDADE BIOLÓGICA

A pandemia trouxe novos paradoxos às idades emocionais.
Considerando que as gerações não são mais segmentadas, hoje, pela idade cronológica ― e sim pelos estilos de vida de cada um ― qual é o papel das idades emocionais em meio à pandemia do coronavírus?
Em um mundo em que Baby Boomers se mostram cada vez mais […]