Carta Aberta aos Anunciantes, Agências e Produtoras Audiovisuais

Carta Aberta aos Anunciantes, Agências e Produtoras Audiovisuais

Importantes entidades representativas dos trabalhadores e profissionais que atuam no setor do Audiovisual, dentre elas o Sindcine (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual), divulgaram uma carta aberta aos anunciantes, que trata sobre a questão da imposição, por parte destes, de prazos de pagamento de 60, 90 e até 120 dias após o serviço prestado. Segundo o documento, esta prática está impondo dificuldades às empresas e profissionais deste setor. As entidades reivindicam e recomendam, por meio deste manifesto, que os prestadores de serviço deste setor não aceitem tais prazos insuportáveis e mantenham a praxe de mercado, que sempre foi de pagamento integral dentro de, no máximo, 30 dias após o trabalho ou serviço prestado. A Fenapro apóia os termos da carta, cuja íntegra segue abaixo:

Carta_Aberta_aos_Anunciantes

Por: Fenapro – Federação Nacional das Agências de Propaganda

 


Artigos Relacionados

Fraude online pode tirar US$ 23 bilhões de anunciantes em 2019, por Marina Oliveira

Estudo da Cheq aponta que até 30% dos investimentos em publicidade digital se perdem, o equivalente a 21 trilhões de anúncios por ano. Um novo estudo divulgado na segunda-feira, 3 de junho, pela empresa de segurança online Cheq, aponta que os anunciantes perderão mais de US$ 23 bilhões globalmente em fraudes de anúncios digitais em 2019.

VOCÊ ESTÁ MESMO APRENDENDO COM O GOOGLE?

Se você tem prestado atenção ao mundo da publicidade na última década, pode ter a impressão de que o digital é onde está todo o foco. Em termos de buzz, fixação de tendências, crescimento recorrente de […]

O ESG CHEGOU NA SALA DO CEO.

O ESG chegou finalmente à mesa dos CEOs – e chegou para ficar. Se antes atentar-se para questões ambientais, sociais e de governança poderia ser uma escolha de posicionamento das empresas, hoje já é uma prioridade estratégica para os líderes com maior visão de futuro. O tema passou a habitar o zeitgeist […]