Aumenta o interesse por eventos culturais presenciais, mostra pesquisa

Nos shows musicais, por exemplo, 72% dos entrevistados afirmaram que hoje dão preferência à experiência presencial

Créditos: bedneyimages no Freepik

Pouco mais de dois anos após o início da pandemia tem aumentado o interesse dos brasileiros pela participação em eventos culturais presenciais em comparação com as iniciativas online. Os dados são da pesquisa Hábitos Culturais III, do Itaú Cultural/Datafolha.

A nova realidade foi constatada em todos as áreas de entretenimento, como shows musicais, espetáculos de circo, teatro e dança, atividades infantis de cultura, seminários e também e aulas e oficinas de arte.

Nos shows musicais, por exemplo, 72% dos entrevistados afirmaram que hoje dão preferência à experiência presencial – em 2021, o índice era de 62%. E o percentual dos que optam pelo online caiu de 32% na pesquisa do ano passado para 19%.

Entre as razões,  30% dos entrevistados informaram a preferência pelo presencial é pela oportunidade de poder ter contato com outras pessoas – em 2021, essa motivação era de 37%.

Há também a perspectiva de maior credibilidade das apresentações presenciais, que aparece em segundo lugar, com 16% na amostra. As motivações subsequentes são maior emoção (13%, mesmo percentual de 2021), prende mais a atenção (12% ante 8% em 2021) e sair da frente do computador (7% agora ante 10% em 2021).

Já quem opta pelo online tem entre as principais motivações a comodidade e a flexibilidade, que aparecem com 27% das menções.  A localização para evitar deslocamentos (16%), desejo de evitar aglomerações e não pôr a saúde em risco (12% agora e 9% na edição anterior) e a praticidade de assistir em casa (10% agora contra 5%, em 2021) surgem na sequência. O levantamento ouviu 2.240 indivíduos de 16 a 65 anos em todas as regiões do país.

Menos atividades
A pesquisa também registra que 62% dos indivíduos diminuíram a frequência de atividades de cultura e de lazer em relação ao período pré-pandemia. Outros 26%  mantiveram os níveis e somente 12% aumentaram as suas atividades.  

Cinema foi a área mais impactada, com apenas 26% dos entrevistados tendo ido nos últimos 12 meses. Na pesquisa de 2021, 59% declararam ter frequentado salas antes da pandemia. Na outra ponta, os podcasts cresceram e agora fazem parte da rotina de 42% dos participantes.

Fonte: Propmark

*Crédito da imagem do topo: “pessoas em um festival” Image de bedneyimages no Freepik



Artigos Relacionados

VENDAS VIA INFLUENCIADORES GERAM MAIS DE R$100 MILHÕES PARA MARCAS.

A LTK, plataforma de monetização de conteúdo para influenciadores, observou um aumento de 172% no número de criadores que geram receita e já impulsionou mais de R$ 100 milhões em receita para marcas parceiras do Brasil. Até o final de 2021, a LTK prevê alcançar a marca dos R$ 200 milhões. De acordo com a nota enviada à imprensa […]

OS 50 SÃO OS NOVOS 25?

A diversidade tem cada vez mais se tornado um conceito presente na vida de todos. O respeito às pessoas, independentemente de raças, etnias, crenças, orientações sexuais, idades, gêneros, regiões e culturas é fundamental tanto na vida pessoal quanto profissional. Nas empresas, tem […]

ATRATIVOS TURÍSTICOS DE MINAS SÃO TEMA DO PROGRAMA BRASIL VISTO DE CIMA ÍCONE DE COMPARTILHAMENTO.

A mineiridade, as belezas centenárias, a rica história e os encantos peculiares de Minas Gerais, vistos por um ângulo diferenciado, estão sendo exibidos, desde o último dia […]