PHILIP MORRIS ANUNCIA A MORTE DO CIGARRO MARLBORO.

imagem-1-PHILIP-MORRIS-ANUNCIA-A-MORTE-DO-CIGARRO-MARLBORO

A Philip Morris anunciou que vai parar de vender cigarros Marlboro na Grã-Bretanha dentro de uma década. A decisão ocorre em meio à diminuição do número de fumantes no Reino Unido, dentro do esforço mais amplo do governo britânico para reduzir o tabagismo, segundo a CNN Internacional.

Muitos investidores já retiraram o tabaco de suas carteiras, e um número crescente de instituições financeiras se comprometeu a implementar políticas livres de tabaco.

O CEO da Philip Morris International, Jacek Olczak, disse ao Sunday Telegraph que o governo do Reino Unido deve tratar os cigarros como carros movidos a gasolina, sendo que a venda deve ser proibida a partir de 2030.

A empresa acrescentou em um comunicado que “pode ver um mundo sem cigarros”.

“Quanto mais cedo acontecer, melhor para todos”, disse a vice-presidente de comunicações estratégicas e científicas, Moira Gilchrist.

“Com as medidas certas em vigor, a Philip Morris pode parar de vender cigarros no Reino Unido em 10 anos”, acrescentou.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o tabagismo — incluindo a inalação de fumaça por fumantes passivos — mata mais de 8 milhões de pessoas a cada ano. A covid matou cerca de 4,1 milhões de pessoas no país até o momento.

A Philip Morris International, que foi separada da Altria, listada em Nova York em 2008, investiu US$ 8 bilhões e contratou dezenas de cientistas e técnicos para desenvolver alternativas de menor risco aos cigarros tradicionais como o Marlboro.

Uma das soluções incluiu o cigarro eletrônico IQOS, que aquece em vez de queimar tabaco. A empresa quer gerar mais de 50% da receita líquida de produtos livres de fumo em quatro anos, acima de cerca de um quarto atualmente.

No início deste mês, a Phillip Morris International anunciou que havia concordado com um acordo de US$ 1,2 bilhão para comprar a fabricante britânica de inalador de asma Vectura. A empresa de tabaco disse em comunicado que a transação fazia parte de sua estratégia “além da Nicotina”.

Ativistas anti-tabaco expressaram ceticismo sobre os planos da empresa, segundo a CNN. Os críticos há muito questionam o quanto a indústria do tabaco está comprometida em mudar, dado o seu uso passado da propaganda para proteger seus interesses.


‘Homens de Marlboro’ morreram de complicações do tabagismo

O ator Eric Lawson, símbolo da marca Marlboro entre 1978 e 1981, morreu em 2014 aos 72 anos, em função de complicações vinculadas ao tabagismo.

O antigo “Marlboro Man” se tornou ainda mais conhecido quando, apesar de fumar desde os 14 anos, participou de uma campanha anti-tabagismo na televisão, satirizando comerciais originais de Marlboro, com os típicos cowboys norte-americanos.

A esposa dele, Susan, informou que o ator continuou fumando mesmo após receber o diagnóstico da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Outros três conhecidos cowboys já tiveram mortes relacionadas ao consumo de cigarro.

David Millar Jr, o primeiro Cowboy, morreu de efisema pulmonar em 1987. Wayne McLaren, o cowboy em 1976, morreu de câncer de pulmão em 1992.

David McLean, cowboy nos anos 60, morreu em 1995 de câncer de pulmão, depois de virar defensor anti-tabagista após descobrir a doença.

Fonte: O Especialista



Artigos Relacionados

A importância do elo para o fortalecimento do mercado

As entidades representativas do mercado de comunicação, como as associações e os sindicatos, têm o importante papel de atuar em

Fenapro e Sinapro-MG promovem Design Thinking Propaganda

Em tempos de crises e mudanças no mercado, quem consegue se reinventar e aproveitar as oportunidades pode transformar a adversidade

O ENTRETENIMENTO NESTA FASE DE DISTANCIAMENTO SOCIAL

Estudo da ViacomCBS captura em detalhes junto a vários segmentos de público os momentos evolutivos de comportamento da sociedade diante das fases do distanciamento social que se dividem em Distração (com o excesso de informação e o desconhecimento), Choque (constatação da gravidade da crise), Adaptação (quando todos passam a buscar seus caminhos para conviver com o distanciamento social e seus impactos) […]