A TENTATIVA DO TWITTER DE COMPRAR O CLUBHOUSE.

imagem-A-TENTATIVA-DO-TWITTER-DE-COMPRAR-O-CLUBHOUSE
(Crédito: William Krause/Unsplash)

O Twitter Inc. manteve conversas nos últimos meses para adquirir o Clubhouse, a rede social de áudio que fez barulho no mercado nos últimos meses, de acordo com pessoas próximas ao assunto.

As companhias discutiram uma avaliação potencial de US$ 4 bilhões de dólares pelo Clubhouse, dizem algumas pessoas, que pediram para não serem identificadas. As discussões, no entanto, não avançaram e não ficou claro o porquê.

Um porta-voz do Twitter não quis comentar o assunto ao Advertising Age e um representante do Clubhouse não havia respondido imediatamente à solicitação de um posicionamento.

A Bloomberg News reportou nesta semana que o Clubhouse está desenvolvendo conversas para aumentar os fundos junto aos investidores para manter a avaliação de US$ 4 bilhões da empresa. Depois da conversa com o Twitter falhar, a startup começou a explorar se faria sentido aumentar o financiamento. O aplicativo permite que seus usuários criem seus próprios programas de rádio online. Ouvintes podem se conectar para ouvirem entrevistas ou painéis de discussão, além de pedirem para participar em chats ao vivo.

O Clubhouse mal completou um ano de idade e já atraiu a presença dos maiores nomes nos negócios e em Hollywood. Empresas de redes sociais já consolidadas correram para trabalhar em suas próprias versões do Clubhouse, incluindo o Twitter. O Facebook Inc. está explorando o formato também e o LinkedIn e a Slack Technologies Inc. já admitiram estar trabalhando em recursos semelhantes para suas networks.

As ações do Twitter subiram cerca de 3% na quarta-feira, 7, dando à empresa de São Francisco um valor de mercado de US$ 55.1 bilhões.

O competidor do Clubhouse criado pelo Twitter, chamado de Spaces, foi lançado no final de 2020, porém ainda está versão beta e nem todos os usuários podem criar ou sediar discussões públicas.

O CEO do Twitter, Jack Dorsey, está otimista no potencial para o áudio como uma nova forma das pessoas interagirem no Twitter e a companhia tem apostado, há tempos, em conteúdos ao vivo através de parcerias e aquisições. Em um evento para a imprensa na quarta-feira, 7, o chefe de produto de receita do Twitter, Bruce Falck, disse que a empresa está considerando formas de monetizar o Spaces, mas essas discussões ainda estão em seus estágios iniciais.

Fonte: Meio e Mensagem, com informações do Advertising Age



Artigos Relacionados

MINDFULNESS PARA ENFRENTAR A PANDEMIA.

A médica infectologista e instrutora de mindfulness Roberta Ribeiro grava podcasts que ajudam a manter o equilíbrio e controlar a ansiedade. Quando tinha 5 anos, Roberta Ribeiro decidiu ser médica e, apesar da pouca idade, também optou pela especialidade: neurocirurgia. O motivo? “Queria mudar a cabeça das pessoas, a forma como pensavam”, diverte-se ao lembrar. A vida, como sempre, deu suas voltas. Quando […]

Campanha BAND CONTRA A FOME. O Sinapro-MG abraça essa ideia.

O agravamento da pandemia da Covid-19 tem gerado fortes consequências em todo o mundo. No Brasil, a pandemia afeta diariamente milhares de pessoas, seja reduzindo salários, ceifando empregos e até mesmo, infelizmente, causando óbitos […]

DEZ DICAS PARA CORTAR GASTOS E ORGANIZAR A VIDA FINANCEIRA DURANTE O ISOLAMENTO SOCIAL

A pandemia do novo coronavírus está exigindo uma série de mudanças de atitude de todos nós. Para quem está de quarentena ou em home office, o isolamento social pode ser uma oportunidade para rever seu orçamento e tentar melhorar sua saúde financeira. Confira 10 dicas para organizar o orçamento e começar a planejar o seu futuro com segurança. […]